Batida Salve Todos

Pelo direito de tomar uma cerveja na calçada!

Já visitei lugares frios.
Já inclusive morei em lugar frio.
E posso dizer que, ser de Recife e viver num sol de 40 graus na sombra só tem duas vantagens:
-não dormir de meia
-beber cerveja gelada na calçada de um bar.
Fora isso, é uma merda (que me desculpem os canadenses, que acham que morar em lugares tropicais é super legal).
Antes de sair por aí espalhando isso nos panfletos de turismo, vai pegar um ônibus na Avenida Caxangá às 11 da manhã e depois a gente conversa, ok?
Sim, eu moro onde você passa férias!
E afirmo, com conhecimento de causa, que calor não é bom.
Se for calor mais praia mais maresia, piorou. Vamos às equações:
Calor + litoral = umidade.
Sabe o que significa isso, caro amigo gaúcho?
Significa suor, roupa grudenta, pele oleosa, cabelo seboso. Isso nos dias de inverno.
Se for verão, significa câncer de pele (na melhor das hipóteses).
Quando é calor + maresia = bicicleta enferrujada.

Mas, deixemos esse pessimismo de lado e vamos nos concentrar nas vantagens!
Não dormir de meia é, além de mais agradável, importante para sua reputação e vida social/amorosa. Você, cara colega solteira, não vai correr o risco de levar um pretê para sua casa e o rapaz dormir ou fazer você sabe o que, com o acessório da Lupo. Por mais burguês, boyzinho e sem noção que o cidadão seja (é, às vezes a gente tá no desespero e nosso controle de qualidade baixa um pouco), o calor não vai deixar ele ficar de meia.
Uma salva de palmas para o calor!
Calor 1 X 0 Frio.

E, quando eu estava preparada para abrir o placar e dar uma goleada no frio, eis que o querido Prefeito da minha ensolarada cidade, vetou o prazer da vantagem 2: tomar cerveja gelada na calçada de um bar!
Não, ele não proibiu a cerveja. Ele vetou a calçada!
A calçada, minha gente!

Sabe os cafés de Paris que tem mesas bucólicas nas calçadas? Pronto, os franceses ficam contando os dias no calendário das estações para que, com o calorzinho, eles possam sentar elegantemente nas calçadas para saborearem um expresso de marca brasileira!

Então, aqui no Recife nos temos o café, a cerveja, o calor, o bar mas não temos a calçada!
Acho errado carro na calçada, lixo na calçada, gelo baiano na calçada!
Mas venho, através desta, reivindicar meu direito de tomar uma cerveja gelada na calçada!
Não quero me amontoar em bares fechados com ar condicionado e cartão de consumação. Não quero ficar em fila de espera para pedir uma Original. Não quero pagar couvert artístico.
Como cidadã brasileira, tenho direito à mesa de plástico com cerveja gelada no copo americano na calçada do meu bar favorito.
Não acho que seja pedir muito!
Sou como Antônio Prata, “meio intelectual, meio de esquerda, por isso freqüento bares meio ruins”.
A decisão de Juan De la Costa (que no momento está em Buenos Aires, provavelmente almoçando numa charmosa calçada de algum restaurante argentino), vem disfarçada de expressões como “mobilidade urbana”. Que na real significa “não fiz nada até agora, então tenho que tirar o atraso e proibir tudo que eu puder proibir”.
É a máxima “falem mal, mas falem de mim”.
Enquanto ele está na Argentina, onde a calçada é liberada, a gente fica aqui; sem transporte bom, sem ciclovia, sem salários decentes, sem política pública de qualidade, sem incentivo à cultura e sem calçada!

* posso apostar de Juan dorme de meia!

49 thoughts on “Pelo direito de tomar uma cerveja na calçada!

  1. Lu Borges disse:

    Hahahaha. Adoro tu pegando no pé (de meia) do prefeito.

  2. Mandrey disse:

    Alô, empreendedores: criem um bar chamado “na calçada”, reproduzindo uma rua dentro de uma área privada, com mesas nas calçadas dos dois lados, onde eu e Téta possamos tomar nossas biritas ao ar livre. Obrigado.

  3. Tem nada melhor que boteco, mesa de fora e cervejinha gelada!!Tem não! Agora esse prefeito tá tirando onda com a cara dos recifenses, que absurdo, tanta coisa pra se fazer na cidade e ele vem com essa novidade!

  4. Maria disse:

    Também sou cidadã e também tenho o direito de transitar na calçada sem ter que desviar de mesas, o que você tem a dizer sobre esse argumento. Sem falar que a calçada vira rua em muitos dos nossos bares. Não me considero meio de esquerda ou meio intelectual, mas também frequento bares que você qualifica como “meio ruins”. Não sou totalmente contra as mesas em calçadas, mas sou muito a favor do uso regulamentado desses espaços. Na maioria dos lugares onde se permite o uso de calçadas e praças como um anexo do bar ou restaurante esse uso é regulamentado e muitas vezes cobrados (na maioria dos restaurante mundo a fora se você resolve ficar do lado de fora seu prato é mais caro!!!) . Por que afinal eu também pago meus impostos e também tenho meus direitos, e portanto não podemos querer colocar o seu direito e a sua vontade acima do meu ou dos outros. Em sendo assim, nos que gostamos do bares “meio ruins” devemos defender a regulamentação do uso dos espaços público e não a simples liberação!!!!

  5. Téta Barbosa disse:

    Mandrey, que ideia boa da peste! Vamo abrir um bar assim? Bar descolado, meio ruim, com atendimento péssimo, mesa de plástico, copo americano mas….cerveja gelada e calçada para todos! Formou.

  6. ricardo mello disse:

    Ops!! De que calçada estamos falando? Recife,nessa questão é um zero absoluto,basta prestar atenção!! Concordo que os nossos prefeitos são da pior qualidade e este Juan,no comments!! Se vc for um deficiente visual ou um cadeirante (nominho horroroso) está imensamente fudido nesta terra.

  7. Téta Barbosa disse:

    Hahhaha, pois é Ricardo. Primeiro Juan tem que construir calçadas para só depois proibir a gente de ficar nela. Então o próximo texto vai ser: Pelo direito de ter calçadas!

  8. Vivian Padilha disse:

    Esse João dá as costas pro Recife mesmo, é um verdadeirao filho de um pura mãe brasileira( pra eu não ser processada é claro) , vai vetar iglu no Alasca pô! Tem o que fazer não!

  9. Danylo Rocha disse:

    Adoro a forma como você escreve, informal, irônico e sofisticado, tudo junto e misturado.

    Parabéns pelo blog!!

  10. Amanda Salles disse:

    Absurdo vetar mesinhas nas calçadas. Absurdo mesmo! Até pq hj em dia com a Lei Seca, a gente bebe sempre por perto de cas né não? Sempre em botequinhos e talz… cerveja barata, calçada esburacada, esgoto fedendo e saindo baratas….hehehehhe…É assim o meu boteco preferido. Só bebo com as pernas pra cima, claro!(medo de baratas).
    Mas, falando sério, é um absurdo. Até acho que deveria ter uma certa regra, e talvez alguma proibição em uma ou outra calçada, por ser mais estreita, ou de uma via muito movimentada por ambulantes….enfim. Mas simplesmente vetar, é FODA! Vamo fazer uma petição pública Téta! Oxiii!
    bju

  11. Amanda Salles disse:

    (corrigindo)
    *..sempre perto de casA…

  12. Ana Paula disse:

    Como assim, de que calçadas q o Juan está vetando? O que pretende improvisar com essa “efervência” da copa? Pois como o Ricardo disse mais acima, o recife é nota ZERO em mobilidade urbana, e os poucos vestigios q existem não poder sentar para bater um papo e tomar uma cerva, é um absurdo… Ah ,e adorei o” pegar um ônibus na Avenida Caxangá às 11 da manhã e depois a gente conversa, ok?” Enfrento aquela av. direto, pois é o trajeto da minha casa e sei do que vc fala!

  13. Edjailson Xavier Correia disse:

    Téta, nascí no amado Bairro de São José, em aprendí a tomar cerveja e comer os petiscos PTA (PREPARA TUA ALMA), sentado nas calçadas daquelas ruas abandonadas de hoje. Sentado no meio-fio, ou sentado no gradil de bebidas tudo se passava e se sentia melhor. O Recife tá chato porque tudo se chama “lounge”, “decor” etc. Sou do tempo que calcinha era roupa íntima, boteco era boteco, e tudo rolava feliz do inicio ao fim, mesmo que algum bebum desavisado resolvesse beijar aqueles antigos postes de ferro que traziam a iluminação de nossas ruas. Ai daqueles que não falassem em dor de cotovelos, a dor assumida na poesia Lupiscinio Rodrigues, tudo rendia comentário no outro dia ou no outro encontro, como tinhamos “estórias” prá contar ! Temos que voltar a ter o Recife daquelas ruas que de menino me transformaram orgulhosamente e apaixonadamente recifense no sentido mais amplo ! “Eu bebo com a ralé de minha rua, que bebe prá esquecer que é gente, é fraca, é pobre, é vil, que joga uma miséria na esportiva, só pensando em voltar viva pro sertão de onde saiu ! ” (Belchior)

  14. Bela postagem! Parabéns! Coerência e justificativas afinadas ao senso crítico. Joínha!

  15. Bob disse:

    Depende da calçada , depende do bar, depende da rua,.. Tudo é relativo.

  16. Arthemísia disse:

    Talvez o maior problema de Recife sejam os recifenses. Em primeiro lugar, em Recife não dá 40 graus, menos ainda na sombra. Em segundo lugar, calçada é espaço público e deve servir a todos, e não a alguns. Se tivéssemos calçadas largas, que coubessem as mesas e os passantes, sem problema. Mas nem temos calçadas e as ruas são por demais estreitas. Por que então dar prioridade aos bares? Se os donos de bares querem espaços ao ar livre, que o façam sem utilizar as calçadas.

    Ao citar o exemplo dos franceses uma palavra reveladora foi utilizada: elegantemente. No dia em que os recifenses ocuparem uma calçada elegantemente, talvez tenham o direito de ficar nela. Elegância sem respeitar o outro não passa de arrogância.

  17. Victor César disse:

    Só tem idiota aqui?
    calçada é uma via publica, agora atrapalhar o pedestre pode ne…
    pq nao coloca a mesa no meio da rua?
    nao gosto do joao da costa tbm mais isso é ter respeito com as pessoas. calcada é para circulacao publica nao para os bares colocarem suas mesas.

  18. ju disse:

    tas afim de se candidatar, que eu tô ligada…
    eu moro perto do Bar da Fossa (dignamente localizado em cima de uma), já que fossa não é calcada, esse não vai fechar.

  19. Edu disse:

    Que post mais besta… Morar em Recife é a melhor coisa do mundo e calçada foi feita pra se andar e não para empresários ganharem dinheiro usando elas para acomodar seus clientes. Perfeita a decisão do prefeito.

  20. Gabriel disse:

    Entao vão ter que retirar as mesas do Balcão Centenário, Guaiamun Gigante de BV, Alphaiate, Boteco e de um monte de bar que tem por ai.
    O problema do Central foi a invasão do frontal, quer dizer, dos frontais que tomaram a Rua sem qualquer ordenação e virou bagunça.
    Mas a calçada normalmente é usada à noite onde na Mamede não tem quase movimento. O Central trouxe vida aquela região e é um absurdo essa proibição. Engraçado que várias pessoas do meio jurídico, político etc, inclusive da prefeitura são figuras constantes nas ditas mesas de calçada da Rua Mamede Simões.
    Deve ter sido algum pastor querendo já aproveitar o logo do Central e abrir uma casa da benção.

  21. bruna fant disse:

    Prezada Téta, tétano tive não. Mas pura sorte naquela noite me agarrou e disse “da próxima, olha pro chão ou passa no meio desses bebuns que ocupam a calçada e se acham no direito de soltar ‘piléria’” (melhor gracejo, Dona pura sorte!) Sim, fui desviar desses caras queijudos que não pegam ninguém, nem taxi, porque são uns lisos… aí tropecei num ferro enferrujado daqueles que chumbam nas calçadas para que os carros não as perturbem, bem no meio da minha canela… ai! aí, já sabe, né? detestei estar nessa cidade, detestei ser frágil e sem coragem de chutar os pés das mesas daqueles manés, detestei o prefeito que permite que botem ferros para conter os carros invasores… Essa polêmica, permita-me, parece conversa de bêbado: desfocada. Será que a atitude pouco pensada da prefeitura de proibir as mesas nas calçadas não ajuda a pensarmos sobre as ditas cujas. Só mobiliza (tenho nada com a mobilidade do prefeito, não) porque afeta a dos que frequentam botecos em calçadas? Não era bom olharmos para nossa imobilidade? As calçadas do Recife são um nojo. Servem somente para separar a rua que é dos carros dos muros e grades das casas e prédios. São geralmente esburacadas, plantam árvores bem no meio delas, fazem rampas nas entradas das garagens… A gente é muito pouco cidadão mesmo, né não? Fechamos os olhos para a catrevagem que assola e pensamos em revolução porque bares ocupam as calçadas públicas sem pagar nada por isso. Sugiro botecos com mesas nas calçadas, assim como você, mas antes sugiro honestas calçadas para quem nelas necessitam caminhar, ou rolar. Que tal cada um levar uma cadeira e irmos todos para a Rua das Calçadas, discutir isso, num dia desses, a ser marcado. Afinal, calçadas também dormem de meias, como o nosso Juan sem dom. Axé!

  22. Carlos Eduardo disse:

    Acho que tal mudança seja válida apenas para as áreas centrais da cidade. Nas periferias, nas orlas e nos morros a calçada ainda continua lá, bem como as cadeiras e as cervejas geladas. Talvez a culpa não seja da calçada, nem do prefeito, ou da cerveja, nem mesmo dos cadeirantes, quem sabe sejamos nós os culpados, que batizamos nossos centros de guetos sem mais nem por que! Jardim Atlântico neles meu bem!
    se ele proibir a pelada no campo de barro eu digo que ele é quente!

  23. Romero disse:

    hahahahaha ótimo texto!!
    Bem que Rua da União poderia ser fechada pros carros, não teria grandes problemas em termos de “mobilidade urbana” pros carros e o público poderia aproveitar melhor a cerva quente do(s) Frontal.

    Não conhecia o blog. Gostei bastante, parabéns.

  24. Ricardo Dantas disse:

    Nao adianta ter calcadas limpas e lindas, se é proibido mesas de bares nas mesmas. Continuaremos sem tomar cervejas na calçada

  25. Carlos Miranda disse:

    Pois é galera, Recife é uma cidade para privilegiados. Tiraram meu direito de tomar a cerva na calçada pisando no cocô do cachorro da madame que ficou com nojo de recolhê-lo.

  26. Gustavo Borges disse:

    Tudo bem, a lei pode ser uma merda, o calor de Recife é uma merda. Mas, eu pergunto: o meu direito, o seu direito e os demais recifenses de andar sobre as calçadas sem impedimento?

    Se para discutir o tema, vamos discutir para combater todos aqueles que estiverem errados!

  27. Téta Barbosa disse:

    Pessoal,
    em primeiro lugar vamos fazer um esforço e entender a palavra IRONIA.
    É claro que não faz 40 graus na sombra (quem é daqui sabe) mas, é figura de linguagem, ironia, ok?
    Quer que eu desenhe?
    Em segundo lugar: mobilidade urbana? Sério?
    Os bares xolocam suas mesas nas calçadas depois das 9 da noite. Sério que vcs acham que vai atrapalhar o caminho dos transeuntes?
    Discurso hipócrita para parecer politicamente correto.
    É o mesmo que ser ECO CHATO sem usar nem sequer um produto sustentável.
    Alow.
    Acho que o Recife tem coisas BEM mais sérias com o que se preocupar do que com a mobilidade urbana no centro da cidade nos fins de semana depois das 9 da noite.
    Mas se quiser, eu desenho.

  28. Téta Barbosa disse:

    Pessoal,
    em primeiro lugar vamos fazer um esforço e entender a palavra IRONIA.
    É claro que não faz 40 graus na sombra (quem é daqui sabe) mas, é figura de linguagem, ironia, ok?
    Quer que eu desenhe?
    Em segundo lugar: mobilidade urbana? Sério?
    Os bares colocam suas mesas nas calçadas depois das 9 da noite. Sério que vcs acham que vai atrapalhar o caminho dos transeuntes?
    Discurso hipócrita para parecer politicamente correto.
    É o mesmo que ser ECO CHATO sem usar nem sequer um produto sustentável.
    Alow.
    Acho que o Recife tem coisas BEM mais sérias com o que se preocupar do que com a mobilidade urbana no centro da cidade nos fins de semana depois das 9 da noite.
    Mas se quiser, eu desenho.

  29. Carlos Miranda disse:

    Bem, se servir de consolo tem o Mercado da Boa Vista que tem as calçadas, a cerveja(sempre bem gelada e pelo preço justo), as cadeiras/mesas de plástico, tem até esquinas e ruas onde não circulam carros(pelo menos nos finais de semana), jambeiros abarrotados que dão uma boa sombra e cujos jambos caem direto do pé nas nossas mãos, às vezes dentro do copo de um menos afortunado(eu já vi!) e que são apelidados carinhosamente de galetos pelos profissionais de plantão(e como tem profissa naquele mercado), e não, não estou fazendo propaganda, sou só um frequentador.

  30. Téta Barbosa disse:

    Carlos, num faz muita propaganda não porque se Juan descobrir….ele vai arrumar um jeito de acabar com a sua festa! Brinks.

  31. Márcia Silva disse:

    Pois é… que hipocrisia geral é essa? Que circulação de pedestres é essa que se tem em Recife lá pelas 21h, principalmente na rua do Central, do Balcão Centenário e tantos outros bares? Sério? É sério isso? Uau!

  32. Márcia Silva disse:

    Alô, alô, marciano, aqui quem fala é da terra…

  33. Adriana Silva disse:

    E sabem o que é pior? É que se João da Costa receber o apoio do filho de Chico, ops… Eduardo Campos, ele se reelege. O povão, que é quem elege essas “criaturas” tem memória curta.
    Quanto ao calor de Recife, ultimamente anda tããããão quente, que os pássaros andam voando com uma asa e se abanando com a outra.
    Não bebo, portanto, não frequento bares, e sou contra essa proibição.
    João da Costa antes de ir para Buenos Aires, passou pelo RJ e deve MORRER de inveja daquela cidade linda, com suas ruas limpas, pessoas andando de bike e seus botecos, TODOS com mesas nas calçadas.
    :p p/ João da Costa

  34. Patrícia Mendes disse:

    Bando de hipócritas e puxa-sacos desse prefeito de sheet. Vão patrulhar outro e dormir de meias. Téta querida, manda esse povo tomar no meio do monossílabo!!!

  35. Breno disse:

    a intenção do texto é boa, mas esbarra na falta de argumentos.
    primeiro, nossa cidade não é um exemplo de boa mobilidade nem de um uso adequado dos espaços público.
    porém, esta questão do frontal traz um fator que muita gente tá se esquecendo: na rua mamede simões existe um edifício residencial. e a partir do momento que ali estão morando pessoas, estas tem o direito (lei do silêncio, já ouviu falar?) de ter o mínimo de qualidade ambiental e a poluição sonora dos bares (imagina aquela quantidade td de gente conversando madrugada a dentro..) atrapalha bastante quem mora ali. não é perseguição a mamede simões, o fato está na existência de residências em cima dos bares (que estão lá bem antes deles), tanto que no entorno os bares continuam com suas cadeiras nas calçadas, porque não há residências (ou seus moradores não se incomodam).
    então este caso tem duas questões: mobilidade, pois, estão ocupando um espaço público de maneira indevida. já imaginou se alguém daquele edifício tiver a capacidade de mobilidade reduzida? e o outro fator seria a poluição sonora.
    também sou a favor das cadeiras nas calçadas, frequento a mamede simões com muita frequência e para mim o atrativo está em ficar na rua. porém, é preciso haver um certo ordenamento, um acordo entre as partes…não é porque a nossa cidade não é um exemplo de organização urbana que vamos chutar o pau da barraca.
    é interessante a permanência dos bares no local, pois, geram uma movimentação na área.
    vejo muito choro dos frequentadores da rua, mas poucos argumentos válido.

    ps1. os bares não colocam as cadeiras depois das 9h da noite.
    ps2. quem mora no edifício tem o direito de ir e vir em qualquer horário, não apenas antes das 9h (como vc falsamente argumentou).não estou dizendo que as mesas inviabilizam a movimentação, mas dificultam para quem tem suas condições de mobilidade reduzida.
    ps3.o recife tem coisas bem mais sérias para serem discutidas. então de vez em quando vc podia sair da bolha e falar delas tb, que tal?no lugar de gastar suas tecladas com um assunto que não é tão sério assim, como vc argumentou.

  36. Déborah disse:

    Adorei o texto! Disse tudo!
    Vou compartilhar! =)

  37. Daniel Valença disse:

    Sou a favor do direito de se tomar na calçada. Beba onde quiser.
    Colocar mesas na calçada já não sou a favor, atrapalha sim a circulação de quem quiser usar o passeio às 21h (direito do pedestre). A não ser que a calçada seja larga o suficiente (se achar esse item raro aqui no Recife), possibilitando ao menos 1,2m de espaço de circulação, então, coloque-se a mesa.
    Porém, nada impede de se tomar na rua. Por que não ocupar uma vaga de carro para colocar 2 ou 3 mesas? Aí não há problema algum. “E onde vou estacionar meu carro?” Bem, primeiro, se beber, não dirija. Se for o amigo da vez, estacione mais distante o carro. A rua é de todos e não dos carros!

    Estou querendo ocupar aquela rua no próximo dia 20. Quem topa?

    Por último, o prefeitinho tá se valendo fazer a lei de outro prefeitinho, não inventando nada. Lei Municipal 16.053/95.

  38. Emília disse:

    Ele deveria proibir de adultos e crianças dormirem nas
    calçadas do Recife e arrumar moradia decente para os
    mesmos.

    Deveria proibir flanelinhas abusando da população justamente
    nos espaços públicos (ruas e até calçadas). Proibir que
    a politicagem tomasse conta de tantas coisas e deixasse a população
    à mercê de esgotos a céu aberto, alagamentos por falta de limpeza
    nas galerias, buracos em várias vias…entre tantas outras coisas que
    passaria 2012 enumerando aqui.

    Então, Sr Juan, pelo amor de Deus, veja esses exemplos que citei
    e tantos outros que o Sr sabe melhor que eu e vá arrumar o que
    fazer.

    Ou melhor: nas eleições, deixe outros candidatos terem oportunidade
    de cuidar melhor do nosso Recife, pq o Sr, como o próprio sobrenome
    diz: DEU AS COSTAS.

  39. Natally disse:

    Ele não vetou a cerveja AINDA!

  40. Iúri Araújo disse:

    Até agora não vi nenhum argumento concreto de quem é contra a proibição das mesas nas calçadas. Nenhum argumento que possa embasar um interesse coletivo, a não ser pelo capricho de um gosto pessoal. Achei infeliz a análise da situação exclusivamente focada no interesse individual de cada um – no caso, da jornalista. Da mesma forma, um belo artigo poderia ser escrito com o argumento de que deve ser maravilhoso morar em uma cobertura na beira-mar, ouvindo apenas o barulho do vento, mas e aqueles que moram em uma rua comercial, na frente de um bar, no primeiro andar? Será que o direito ao descanso não é o mesmo? Por isto que algumas coisas são permitidas, outras não. E existem leis que unificam a conduta para que o direito do cidadão seja preservado. E leia-se o direito do cidadão como pessoa física ou jurídica – e direitos iguais. Se um pode usar o espaço público para seus fins comerciais, porque outro não pode? As calçadas estão liberadas para quem quiser ficar lá, tomando sua cerveja. Só não acho correto um estabelecimento comercial poder expandir seu espaço físico usando um espaço comum, lucrando em cima disto, sem pagar qualquer imposto. Isto me dá direito, enquanto cidadão, de abrir uma pessoa jurídica com endereço em minha residência e arrudiar o meu quarteirão de mesas e fazer um botequim. Acho que não é bem por aí.

  41. Suyene Carvalho disse:

    A Emília aí de cima disse TUDO. Se fosse no facebook eu curtia, rsrs. João de Costas para o Povo!!!

  42. e. disse:

    flor…excelente texto, fino uso de ironia…principalmente ao desenha-la aos comentaristas… deixa eu te contar um causo aqui da cidade…q n se pode mais fumar nas mesinhas nas calçadas (ufa…ainda temos!).. Foi pintada uma faixa e decretado um espaço pra se transitar sem chutar mesas. Genial ne? Simples…mas o problema foi resolvido assim por conta dos fumantes, nao do espaço. todos ficam ao ar livre, mas os fumantes foram ali, pra aerea marcada, mais perto da rua e em pé… Pq comer c gente fumando eh foda…. Mas enfim… Só quero dizer que…enqt existirem os bons de argumentos (tipo o cara ali q começa perguntando se só tem idiota, e no caso daqui- os nao fumantes) a discussão n acaba… Bota tua mesinha la no teu bar favorito…ou leva banquinho de casa e fica sem mesa igual churrasquinho… Dai qdo fiscal/policia aprecer pq alguem tropeçou (aqui deu briga por uma mina alergica a cigarro rs) fala q tao pertendo tempo…faz um argumento de protesto ainda maior… Tao gastando recurso com o prazer do povo… Onde ja se viu ter direito a lazer… O ir e vir vale pra onde vc escolhe bebe! Beiiijo Hahahahahaha to bebado…so podeee!!

  43. Zé Maria disse:

    Querida Téta
    Se não aguenta, bebe leite.

    Quem tem um blog, quem assina um espaço com suas opiniões e dá a liberdade de outros comentarem, tem que parar de ser reativo a qualquer crítica que é feita nesses espaço.

    Todas as suas tréplicas aos que discordam de vcs, fala da IRONIA, ou a falta dela no caso daqueles que se atrevem a ir de encontro aos seus pensamentos. Pois bem, tenha vc a SABEDORIA da aceitar o pensamento contrário.

    É simples. Aceita e pronto. Ou então não dá espaço para o povo comentar. O que tb é algo simples.

  44. Ricardo Mello disse:

    Apesar da tua explicação e da ironia explicita,o melhor argumento foi o de :Recife tem coisas mais sérias a serem discutidas.Vimos o filme na época do Adolf: Primeiro meu vizinho foi preso,depois o outro e onde eu estava quando chegar a minha vez.Fala Teta!!!!!
    Que bom que vc.existe!!

  45. Pri Maria disse:

    Menina que esse post tá é animado!! Arrasa, Téta!!!

    bjs

  46. Daniel Valença disse:

    Caro Iuri Araújo,

    Eu sou contra mesas nas calçadas! Se elas não forem largas o suficientes (algo inexistente no Recife), é uma obstrução do local de caminhada das pessoas. Quem não vê nada contra é porque não experimentou dar uma volta no próprio quarteirão para ver as dificuldades de se caminhar (imagine andar de cadeira de rodas) pelos passeios do Recife.

    Para mim, a solução é clara: resolvido o problema da poluição sonora com os moradores da região, instala-se as mesas nas ruas, onde hoje estacionam os carros e divirtam-se a vontade. Ou tome em pé na calçada.

    Enfim, na rua sim, na calçada não! =)

    Abraço!

  47. Roberta disse:

    Eu sou a favor do uso responsável de qualquer espaço público. Com as calçadas estreitas do Recife, ou o cidadão bebe a sua cerva gelada ou transita por elas – uma coisa ou outra. Sem contar o fato de que é um espaço público usado gratuitamente por uma entidade privada.

    De fato é muito bom tomar umas cervas na calçada, mas fazer isso e ignorar o fato de que o mesmo impede que as pessoas circulem e inferniza a vida de idosos e deficientes físicos é uma furada. Sim, em vários países e estados brasileiros (como as calçadas de Copacabana), as calçadas são utilizadas como quiosques ou anexos de bares. Mas nenhuma delas impede a livre circulação das pessoas e os donos dos estabelecimentos pagam pelo uso e se responsabilizam pela limpeza do espaço.

    Para que ninguém seja prejudicado seria necessária a requalificação das calçadas para que fiquem largas como as de Paris e outros lugares afins.

    Morei em Recife por mais de três anos a amei muitas coisas, não apenas o fato de dormir sem meias (ótima essa!) e beber cerveja na calçada. Minha temporada em lugares muito frios só remetia à lembrança do calor gostoso da cidade do Recife. Um dia volto a morar lá…

  48. Carlos disse:

    O que é questionado é o uso privado de espaço publico. O passeio é passagem, não extensão da área privativa do do bar. Deve se restringir a seu espaço privado. Tem que investir em área privada de atendimento a seus clientes, e não tomar a calcada, que é publica. Mas concordo, fica difícil debater tal assunto quando se trata de botequeiros e donos de bar. Abraços!

  49. Celso disse:

    • ALCOOL – Chega de atropelamentos
    • Salmos 1:1Maldito quem assenta nessas mesas e cadeiras de calçadas, rodas de escarnecedores;
    • I Pedro 5:8 = Sede sóbrios; vigiai; o diabo, seu adversário, anda perto brahmando e quer te pegar;
    • Efésios 5:18) o espírito de prostituição, devassidão lhes entra pela goela, dominam, logo prostituem;
    • Isaias 28:1 A glória do bebum é o copo na mão,(cetro) como o cigarro entre os dedos para o fumante;
    • Pv. 20:1 O álcool é droga, é alvoroçador, escarnecedor, vicia, entorpece e causa violência e mortes ;
    • Habacuque 2:15 Maldito o que da de beber ao próximo, será farto de ignomínia e não de honra;
    • I João 3:15 Quem embriaga seu irmão é homicida, nenhum homicida tem vida eterna em si mesmo;
    • I Corintios 6:9,10 Nem devassos, nem idólatras, adúlteros, nem bebedores, irão para o céu;
    • Oséias 4:11,12,13 O álcool queima os neurônios, tira o entendimento, todo bebum é tolo, é guampa;
    • Provérbios 28:4 Quem abandona a lei, louva o ímpio, mas os que guardam a lei, pelejam contra ele; Eclesiastes 10:17, Quando o rei é filho de nobres, os príncipes refazem suas forças sem bebedices !;
    • Proverbios 23:20,21. Não estejais entre os beberrões de alcool, nem entre os comilões de carne;
    • João 7:19 Critérios existem para que não mateis, quem não segue critérios é homicida/destruidor;
    • I Samuel 15:23 São rebeldes, escarnecedores, feiticeiros, idólatras, cúmplices em atropelamentos;
    • C.P. art.13 Tudo q contribui é causa, nexo condictio sine qua non; equivalência concilium fraudis;
    • C. P. art. 29 Quem, de qualquer modo, concorre para o crime incide nas penas a este cominadas;
    • C.P. Art. 132 Expõe a vida ou a saúde de outrem a perigo direto e iminente, cúmplices em mortes; C.P. art. 286 O embriagador induz, incita, entorpece, tonteia os motoristas para que atropelem;
    • Lei 7.209,de 11.07.84, lei 11.343, art. 33,34,35,O que alcooliza é mentor de atropelamentos e mortes;
    • ECA Art. 243. Vender, fornecer álcool a criança ou adolescente é crime, pena de 2 a 4 anos cadeia;
    • CTB art. 254 IV,V = Calçadas são vias de trânsito, jamais áreas de laser para criar espaços alcoólicos; CDC art. 10 O mentor serve droga alcoólica induz, incita, sabe da nocividade, periclitação da vida;
    • Lei Federal 10.098/00 Não deixe que políticos corruptos vendam as calçadas do povo para bares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>