Batida Salve Todos

Vazou! (das coisas que só acontecem lá em casa)

A notícia chegou rápido.

Constava de um vazamento de gás no edifício Chateu Versalles em Boa Viagem. Correria, um leve pânico, vizinhos aflitos descendo pelas escadas.

Os moradores foram evacuados do local enquanto bombeiros tentavam, bravamente, controlar a grave situação.

A energia foi cortada e os carros proibidos de entrar ou sair da garagem.

- Alô, mãe? O que está acontecendo? Vocês estão bem? Estão na rua?

- Que na rua, menina! Eu estou no Carrefour que tem ar condicionado.

- E papai, mãe? E papai? Cadê ele?

- Está no carro de bombeiros e acabou de mandar um selfie com o comandante da guarnição ( hastag #énois).

Como proceder, minha gente?

Da série: pais modernos, filhos caretas

 

 

Lá no Jardim.

Sabe a Jardinaria, aquela loja linda aqui na 17 de Agosto? Pronto, ela resolveu convidar 6 marcas massa para fazer um mega bazar em seu jardim. De moda à decoração, tem tudo com super descontos (adorooooo).

jardim

Das marcas do meu coração, estão a Estúdio Zero (quem acompanha meu insta @tetabarbosa, sabe que eu vivo com os vestidinhos da loja) e a D.uas Design (que já desfilou pra a gente, lembram?).

Esse aí de baixo, que eu usei semana passada, tá com 50% de desconto. Corra, Lola, corra.

jardim3

Tem muita coisa legal mesmo, principalmente pra quem gosta de decoração!

jardim4

A D.uas tá TODA em promo! No site já tem um monte de coisa com desconto, e no Bazar da jardineira, nem se fala.

jardim5

Porque eu divulgo essas coisas? Não, não sou paga pra isso, mas é porque eu ADORO (na vera) divulgar estilistas e designers incríveis de Recife. Pra a gente parar com essa mania de achar que só as coisas gringas ou do sul são legais.

O ateliê de Gabi

gabi1

Gabi Fonseca, designer de sapatos lindos e modernos, se juntou com a sua mãe, da marca Psiq, e juntas inauguram um novo ateliê.

O espaço é fofo e fica aqui pertinho, em Casa Forte. Neste sábado rola o lançamento da nova coleção e do lugar. Estão todas convidadas para passar por lá e conhecer as novidades. O ateliê fica na Rua Visconde de Ouro Preto, 156, casa 2 e o auê rola sas 10h às 20h. Bora?

gabi3

gabi2

gabi4

A peleja de Ariano, o decifrador popular, contra o dono do céu.

Poderia ser um romance, daria uma ótima minessérie, serviria até para o teatro: a história do homem que morreu e desmorreu duas vezes no mesmo dia.

Como isso aconteceu?

Não sei, só sei que foi assim.

É que Ariano Suassuna, que nunca foi apreciador da morte, aquela que chega sem ser chamada, morreu mesmo foi pelas mãos dos boatos da cidade-fofoca, que é coisa muito mais teatral e cênica do que morrer de morte morrida.

Morreu e desmorreu, inclusive, na mesma hora.

Pelo que tudo indica, o escritor engabelou a velha da capa preta e quando chegou à morada eterna deu meia volta porque ainda precisava acabar seu último e derradeiro livro: o romance criminal do disse-me-disse.

Teve quem jurasse que sim e marcasse até velório, teve quem dissesse que não, que muito pelo contrário, Ariano estava vivinho da Silva e só iria para o beleléu se Deus viesse, em pessoa, puxá-lo pelos cabelos da careca.

Que o Todo Poderoso estava precisando de escritores na mansão celeste, não há dúvidas, mas o mundo mítico do Sertão ainda não estava preparado para deixar seu mais célebre criador partir, para o meio do oco da vida, assim, sem mais nem menos. Abraçamos-nos aos livros, respiramos as frases, agarramos as histórias pela raiz da saudade. Subimos, enfim, ao topo da pedra do reino, para gritar #forçaAriano. Era tarde demais, o segundo capítulo da narrativa já estava escrita e o romancista morreu, pela segunda vez, dessa vez de morte verdadeira, dessas que dá vontade de chorar um Capibaribe de lágrimas. O príncipe sertanejo da bandeira do divino subiu ao descanso eterno para encarar “aquele fato sem explicação que iguala tudo o que é vivo num só rebanho, porque tudo o que é vivo, morre.”

The grand finale, the end , my friend, que em francês quer dizer; vai em paz, mestre.

Sobe som de Siba e a Fuloresta cantando, em nordestinês, sobre a morte:

“Bota a cara na janela, entra sem ter permissão

Fazendo a subtração dos nomes da lista dela

Com risada amarela

È uma atriz enxerida, com presença garantida

No fim de toda novela”

Sobem os créditos finais da novela cujo mocinho, um soldado do exército da cultura armorial popular, vestiu o paletó de madeira. Mas não sem antes lutar bravamente contra a americanização a abestalhação global.

Só morreu, diga-se de passagem, porque Deus prometeu companhia a João Ubaldo e Rubem Alves.

- Ô promessa desgraçada, ô promessa sem jeito.

Assim acaba esse folheto; nosso padrinho embarcou na Nau Catarineta do eterno para navegar nas nuvens da memória do povo nordestino.

Boa viagem, professor. Obrigada por tudo.

Pirando no LiquidaPlaza.

É promoção e #asminapira. Dei uma voltinha no Liquida Plaza porque, segundo pesquisa do Instituto da Economia Fashionista , essa é a hora de fazer compras, my friend. Sou tão disciplinada que já fui pensando no dia dos Pais, aniversário de kk, aniversário de Aninha, Natal, amigo secreto…. (meu nome é excell e eu gosto de planejar).

O Plaza é aqui do lado (sou ZN) e passei o dia perambulando e fazendo compras. Como sou uma fofa, super legal e querida (merchan de auto-promoção), tirei fotos para dividir com vocês meus achadinhos. Atenção: tem loja com 70% de desconto. Segura o cartão de crédito, se benze e corre porque acaba domingo.

Já pensando no verão que se aproxima (mesmo sem o inverno ter chegado), estava focada em shorts e vestidinhos que, aqui em Hellcife, dá pra usar o tempo todo.

PLazaShorts

plazavestido1

vestido2

Manual de sobrevivência em promoções:

A dica é comprar peças atemporais. Nada de se jogar num look que foi a mega tendência da última estação porque aí você vai enjoar. Outra dica preciosa é provar, se imaginar usando e perguntar: em que ocasião e/ou lugar que você frequenta combinaria com aquele look?  Paciência é fundamental porque TODAS as lojas estão com descontos incríveis, então vale a pena bater perna (vai de tênis e roupa confortável) até cansar.

Por falar em bater perna e tênis, vamos ao achadinhos dos calçados (#asminapiramuito)

plazasapatos

Sim, sou do tipo que ama rasteiras e tênis, por isso as fotos são das minhas escolhas favoritas. Mas tem muito salto alto também (e como tem) para você que vai de salto até na padaria.

Mas concentra; o mundo não gira em torno do seu umbigo e o Dia dos Pais tá aí, batendo na porta.

plazapais2

Pronto, já escolheu o presente do seu pai? Agora pode voltar a se concentrar nas outras dicas.

plazaoculos

plazageral

plazageral2

Comprou tudo? Já pode voltar, carregada de sacolas, para o carro sem susto porque até o estacionamento está com 50% de desconto!

Existe isso? Amo.

Pra ver mais produtos fofs da promo, basta clicar AQUI para ir no hotsite do liquida!

plazapirando

*este post é um publieditorial

Batida na TV – Desfile da Casa 87

casa

Ju Souto é estilista, decoradora, artista plástica e, acima de tudo, criativa. Aproveitou a casa da sua avó, que costurava como ninguém, e montou a loja CASA 87, na Encruzilhada. Lá ela coloca em prática todas as suas invenções nas áreas de moda e decoração.

Sexta passada Ju foi para o Batida na TV mostrar sua coleção de roupitchas lindas num desfile inspirado nas pin ups.

casa4

casa2

casa5

casa3

casa6

casa7

casa10

O mais divertido é sempre o camarim. A gente chega às 10h e já encontra Jo (maquiadora da TV) e Edey (maquiador) se divertindo litros. Entre uma fechação e outra, os makes e cabelos da meninas são feitos com o maior carinho pelos dois.

casamakingof

Ju, de tão fofa, fez um vestido especial pra mim.

casa9

casa8

A Casa 87 fica na Av. Marechal Deodoro, 87, Encruzilhada.  O Facebook é o www.facebook.com/casaoitentaesete

Tudo que eu gosto é ilegal, é imoral ou tem glúten.

Café da manhã sem lactose, almoço sem carne, pra quê? Pra perder de 7X1?

Eliminar cerveja, refri e gordura não basta. Agora é preciso colocar o glúten no paredão. Essa querida proteína, tão fofa e presente no dia a dia desde que Jesus repartiu o pão entre os apóstolos. Ele repartiu o pão, pessoal, não a batata doce, nem a macaxeira, muito menos a omelete sem gema. Foi o pão, porra!

Agora, o inocente trigo, aparentemente mordeu o fruto proibido e vai arder na fogueira dos nutricionistas até que se ache o próximo vilão.

O glúten não presta, não é bom para você, faz mal e, pelo que tudo indica, está mais fora de moda que a pochete.

Onde tem glúten? Em absolutamente tudo que é gostoso nesta vida: pão (mesmo os integrais), pizza, macarrão, biscoito, bolacha, coxinha, quibe, bolo. Até na cerveja, minha gente.

Puta mundo injusto, mêu.

Segundo cientistas, mesmo que você não tenha intolerância à proteína (doença celíaca), não deve comer. Não deve nem passar por perto. Mude de calçada se o glúten vier na sua direção!

Ele, o glúten, sentado na cadeira dos réus, ouve silencioso as acusações contra sua pessoa, ou melhor, seu grão. O indiciado é acusado pelos crimes de: obesidade, prisão de ventre, alergias, aumento de gordura na região do abdômen (leia-se: buchinho), gases, irritação, fadiga, depressão entre tantos outros problemas. Acho , inclusive, que ele foi o responsável pelo 7 X 1 contra a Alemanha.

Glúten é, segundo alguns estudiosos, o Darth Vader do século. Outros pesquisadores, no entanto, dizem que é tudo mimimi e que a culpa não é da proteína coisa nenhuma.

- “In contrast to our first study, we could find absolutely no specific response to gluten. Much, much more research is needed” Says Peter Gibson, a professor of gastroenterology at Monash University and director of the GI Unit at The Alfred Hospital in Melbourne, Australia.

Tradução simultânea (e livre):

- O cara come 8 pães com mortadela, três latões de cerveja, fica com bucho e a culpa é do glúten? Nem a pau, Juvenal.

Até a filósofa moderna, Valeska Popozuda, tem opinião para contribuir com o assunto: “parei de comer glúten e emagreci 4 kg em uma semana”, fecha aspas, nessa que pode ser a descoberta do século.

E você, que acredita em Papai Noel e na Polishop, vai começar a comprar pão Glúten Free por quatro vezes o preço do pão que Jesus repartiu entre os apóstolos. That´s capitalismo, baby.

#ImaginaNasOlimpíadas

Por via das dúvidas, vou fazer a dieta do espumante: não tem glúten, não tem lactose e não engorda.

 

Vai mais pra lá.

Confissões de uma blogueira que não aguenta mais mimimi.gif2

 

 

 

O preto e branco de Karina Leão na Pessarela Fenearte.

karina

A estilista Karina Leão levou a coleção Os dois lados do ser para a passarela Fenearte. Com looks em preto e branco, representando o peso e a leveza da dualidade humana, Karina mostrou que seu trabalho está cada dia mais maduro e coeso.

karina2

Desfile dos alunos do SENAC na Fenearte.

Levamos os looks do Senac para desfilar, também, lá no Batida na TV. Aqui, as fotos da Fenearte, com um desfile todo inspirado no mágico e lúdico universo dos mamulengos.

senacfenearte

Adorei as cores e a estampa, toda feita a mão pelos próprios alunos. Amei MUITO esse verdinho aí de baixo!

senacfenearte2

senacfenearte3

 

Oh quarta-feira ingrata.

E a nação acorda se sentindo o cocô do cavalo do bandido depois que Hitler, em pessoa, pintou o 7 no Mineirão. Assim como as 7 pragas do Egito e os 7 pecados capitais, levamos 7 gols amaldiçoados  que fecharam, a 7 chaves, nossa chance do hexa e enterrou, debaixo de sete palmos, nosso patriotismo.

A culpa, claro, foi do vigia da Arena que deixou Mick Jagger assistir ao jogo.

Entramos em campo com muita garra e pouco futebol, provando, unicamente, que garra só faz diferença na luta, se você for um leopardo ou Wolverine. Na próxima, vamos treinar mais e fazer menos marketing da nossa determinação. Perseverança é bom, se você está estudando para concurso, mas no futebol, bom mesmo é saber jogar.

Por isso, #nãotemmaiscopa e os brasileiros choram mais que os israelenses depois de serem atacados, não por gols, mas por foguetes e bombas, noite passada. Fazendo a gente repensar um pouco nossas lágrimas.

Em nossa defesa, sobe o som de “it´s my party, and i´ll cry if I want to”. Ou, em clima de Carnaval, “è de fazer chorar, quando o dia amanhece e eu vejo a Copa acabar….”

Ah, o futebol, essa caixinha de surpresas que às vezes traz títulos, às vezes veneno de rato.

Tudo que nos resta agora é torcer contra os hermanos do sul: “dont´cry for me Argentina”, porque somos holandeses desde pequenininhos.

Levanta, sacode a bandeira e da a volta por cima, porque minha conta de luz, que é bom, David Luiz não vem pagar.

 

 

O divertido desfile da Unifavip na Fenearte.

unifavip2

Os alunos do curso de design de moda do centro Universitário do Vale do Ipojuca, em Caruaru, capricharam na coleção inspirada nos mamulengos. Cheios de cor e irreverência, 18 looks divertidíssimos desfilaram na passarela da Fenearte 2014.

unifavip1

A coleção mostrou unidade e criatividade.

Quem esperava ver um desfile com cara de artesanato da feira de Caruaru, quebrou a cara. Os alunos mostraram que estão prontos para ganhar o mundo com looks modernos e universais.

unifavip3

Fotos Daniela Nader.

#QueroMorarNaCopa – sobre futebol e facebbok.

Tem os que  postam fotos de gatos na rede social, tem os das frases de autoajuda, os que dão copy/paste em orações, os da putaria, os que são ou querem ser FacebookHeroes e escrevem sobre temas polêmicos para causar comoção/reação. Como esquecer os que postam diariamente fotos dos filhos e/ou cachorros (como se fosse a mesma coisa), os de direita, os de esquerda, os radicais, xiitas, mobilizadores de sofá. Tem aqueles que entram no facebook pelas piadinhas, tem as recalcadas que deixam indiretas para o ex, as do selfie, e, claro, os chefs de rede social que só postam comidinhas gourmets feitas por ele mesmo. #jantarzinhodehoje.

Têm, sempre, os que só abrem o face para dizer o quanto odeiam os que só postam gatos, os da auto-ajuda, os da foto dos filhos, e que só estão ali, controversialmente falando, para dizer que essa rede social não presta para nada e que vai fechar a aba agora mesmo, mas não sem antes curtir a foto do bebê da amiga de infância.

Mas isso era antes. Antes de nos unirmos por um assunto comum. Antes, muito antes, quando cada um vivia pensando em seu mundinho e seu umbigo. Isso, minha gente, foi tudo antes da Copa do Mundo.

Agora, tudo mudou. Os que postavam fotos dos gatos, agora compartilham cliques de Neymar, os da autoajuda escrevem frases para a recuperação do craque, quem queria ocupar o Palácio do Planalto e tocar fogo na Esplanada dos Ministérios, agora ocupa os estádios e só toca fogo em fogos de artifícios para comemorar os gols.

Os FacebookHeroes trocaram as ironias contra o Governo por análises dos jogos. Quem só compartilhava selfie no espelho do banheiro, agora faz foto com os amigos (de verdade, e não só virtuais) nas arquibancadas das arenas. As que deixavam indiretas para o ex, agora escrevem sobre David Luiz. Quem só postava comida gourmet, agora compartilha imagens de petiscos comprados prontos porque assiste a dois jogos por dia e não dá mais tempo de cozinhar. Os que tiravam fotos de vinhos de 400 reais, agora só bebem cerveja no copão da Budweiser e os radicais xiitas, agora são radicalmente a favor do Brasil e, no máximo, xingam a Argentina.

Os que postavam fotos dos filhos, bem, esses, continuam postando. Principalmente os filhos que participaram da Copa (#VictorSegurandoAbandeira, #MãeCoruja, #JuroQueVouPararDe MeAmostrar, mas só quando a Copa acabar.)

Aqueles que só entravam para falar mal do Face agora, no máximo, só falam mal de Fred.

É a Copa das Copas unindo os corações, principalmente nas quartas de finais. É um mundial de futebol igualando as diferenças e nos provando, por A + B, ou melhor, por prorrogação + pênalti, que no fim do dia, somos todos iguais.

Sem mais, portanto, eu #QueroMorarNaCopa. Devia ser Copa para sempre, pelo menos na rede social.

*Um texto sobre respeitar as diferenças e nos unirmos nas semelhanças!

Briga da quinta A contra a quinta B.

O assunto é polêmico, mas o texto nem tanto: Ocupe Estelita.

Não vou ser aqui, pelo menos não mais publicamente, contra ou a favor o movimento. Mas vou, publicamente, ser contra a guerra de torcidas organizadas em que se tornou a atitude de quem é contra e de quem é a favor.

Se você é a favor, não pode mais tomar uma cerveja com quem é contra. Se é contra, nem pense em convidar quem é a favor pra ir à praia no sábado. Se é a favor, não vai mais brincar no Galo da Madrugada, porque o cara é contra. Se você é contra, nunca mais será bem vindo num show de Otto, que é a favor.

Não sei quem dividiu os times, mas, aparentemente, avisou que além de levantar bandeiras diferentes, os jogadores iriam se odiar e quem sabe, jogar uma bacia sanitária na cabeça do outro. A verdade é que bacias simbólicas já estão sendo arremessadas por aí em forma de hostilidade verbal.

Um muro de Berlim, construído com tijolos de agressões e xingamentos nas redes sociais, separa, para todo o sempre amém, o pessoal do lado A contra o pessoal do lado B.
Argumentos sobre urbanismo e cidadania foram trocados por “se você trabalhar para uma empreiteira, não fale mais comigo”, de quem é a favor ou “seu desocupado maconheiro” do lado de quem é contra.

- Sua feia, chata, burra, vou falar pra minha mãe que você é __________ (espaço para múltipla escolha: contra/a favor/não tá nem aí), parece ser a justificativa mais forte dos concorrentes.

Paul Válery estava certo; “quem não pode atacar o argumento, ataca o argumentador”.

O castigo máximo da vida moderna está sendo aplicado aos membros do time oposto: a exclusão do facebook. Uma lápide é colocada no lugar do antigo amigo com os dizeres: aqui jaz um ex companheiro com quem eu brinquei de bicicleta no pilotis do prédio, contei meus segredos e dei risada, mas um dia ele se entregou às forças do mal e morreu para mim quando resolveu ser ___________ (A-contra, B- a favor, C – Nenhuma das anteriores – não se preocupe, não vou divulgar sua escolha, afinal, sair por aí dizendo o que pensa pode pôr sua vida em risco).

Saudade de quando eu era da quinta A e, mesmo torcendo contra a quinta B, no jogo de volley das olimpíadas internas do Vera Cruz, podíamos brincar juntos no recreio.

Saudade, principalmente, de um Recife onde a gente podia dizer o que pensava e torcer para o time do coração sem levar uma bacia sanitária na cabeça.

Batida na TV: moda no trabalho.

Já que nem sempre as tendências das passarelas são bem vindas no escritório, fui conversar com Carmen Peixoto, consultora de estilo, para desvendar as regras dos looks para a empresa. É só clicar no vídeo para não errar no dress code e ser promovida no quesito estilo!

A Grécia de chuteiras.

A Grécia é foda. Eu sei que essa é uma frase de abertura um tanto quanto forte e quase agressiva para iniciar um texto de um blog fofo de moda, mas o fato é que a Grécia é foda.

Não estive lá recentemente. Nunca fui lá, inclusive. Mas os livros de história apóiam minha teoria: os gregos criaram a democracia, a literatura, a filosofia, as olimpíadas. Noves fora, nada; os gregos são foda.

Dito isto, domingo passado nos vestimos com listras azuis e brancas, como convém ao time zebra da competição, para torcer pelos deuses do olimpo. Afinal, os gregos merecem nosso apreço. Certo?

Errado. Tudo mentira e que quase enganei vocês.

A verdade é que nos vestimos de azul e branco para assistir ao jogo da copa do mundo, na Arena Pernambuco, não porque a Grécia é foda, mas porque Victor, meu filho, entrou em campo, convidado pela Coca-cola (é isso aí, não tem sabor como esse aqui. É demais. Refresca muito, muito mais….*favor apagar o merchan, foi pura empolgação), segurando a bandeira da Grécia.

Momento #MãeCoruja e #MãePagaMico, velocidade 5.

Resultado: toda família em frente ao telão, tirando fotos das imagens e gritando loucamente enquanto os times entravam em campo, logo atrás das bandeiras. Os times não, a gente só gritou mesmo quando a Grécia entrou, fazendo os garçons do restaurante acreditarem que éramos de descendência grega e, na sequência, esconderem os pratos. Vai que.

Emocionada e sem palavras, eu, a mãe, só posso resumir essa emoção com as palavras de Platão : “é pra torar, movéi”!

Recolhidas as bandeiras, era como se a copa tivesse acabado. Posso garantir que os 5 minutos de fama de Victor foram mais emocionantes que a possível final Brasil X Argentina no Maracanã.

Daí em diante foi um tal de Zeus passa a bola para Apolo que chuta para Dionísio mas Hércules não recebe bem e passa  para o Minotauro que cabeceia para seu labirinto, deixando a bola perdida sem achar a saída, eliminando qualquer possibilidade de gol da Grécia.

Os Deuses do futebol não estavam muito animados em passar essa zebra azul e branca para as quartas de final e, com raios vindos do céu, ou melhor, pênaltis no gol, a Costa Rica driblou toda a mitologia grega e eliminou nossos bravos guerreiros.

Não que a gente se importasse, porque na prorrogação já tínhamos trocado o telão pelo trio de forró que estava tocando no terraço do estabelecimento. Afinal, a parte mais importante de Copa das Copas já tinha passado: Victor em campo.

Porque, minha filha, se você acha que a Grécia é foda, você ainda não conhece Victor.

*Agradecimentos especiais: Marcelo Cavalcante (ex blog do torcedor, atual blog de esportes da Globo e amigo das antigas) pela indicação e a Coca-Cola pela experiência.

*Sim, eu tenho idade para ter um filho de 17 anos. Não, não fiquei grávida aos 15.

copa3

copa2

copa

Fotos: Arnaldo Carvalho/ JC Imagem

Alunos do Senac na Passarela Fenearte

Já está tudo pronto! Amanhã os alunos do curso de Design de Moda da Faculdade Senac apresentam, na 15ª Passarela Fenearte, quinze looks de sua coleção Mamulengar, às 18h.
O vídeo abaixo mostra um pouquinho da pré produção e preparativos do desfile.

Eu se fosse você não perdia por nada. A coleção é inspirada no universo lúdico e alegre do imaginário popular da região, o mamulengo. Onze alunos, estudantes do 1º ao 4º módulo do curso, foram selecionados para expor suas criações – em concurso aberto a todos, com inscrições anônimas. O processo de idealização e produção foi pautado dentro do segmento casual chique, sob o mote Mamulengo: a arte da alegria.

O Baú Secreto

bau

Preparem seus corações, porque Carol Azevedo e Bárbara Cunha, figurinistas de filmes, comerciais publicitários, peças e espetáculos, resolveram abrir o baú secreto com as roupas usadas por personagens de vários trabalhos para as pobres mortais como nós. Domingo rola o Bazar Baú Secreto, onde as meninas vão vender cerca de 250 artigos garimpadas pelo mundo, e viagens para pesquisas de figurinos na Índia, França, Hungria, Portugal e países da África. “São acessórios e roupas usados em filmes como País do Desejo, Deserto Feliz, Uma Estrela par Ioiô, e ainda Amarelo Manga, meu primeiro trabalho”, revela Bárbara Cunha.  A lista tem ainda roupas de série de TV e de espetáculos de teatro usadas por atores como Hermila Guedes, Maria Padilha, Nash Laila, Zezé Mota, Fábio Assunção, Mariana Ximenes, entre outros.

bau4

bau5

Entre pérolas, uma bolsa Giorgio Armani rara, peças dos anos 70 num clima disco com muito brilho, e até vestidos de noiva das décadas de 50, 60 e 70. Há diversos vestidos, camisas, peças rendadas, com brilho, camisolas, sapatos, bolsas chapéus e bijus. Os preços variam de acordo com a raridade de cada produto, indo de R$10 até  R$1.000,00.

Mas calma, tem roupa “normal” também, ou seja, nem todo figurino para tv ou cinema tem jeito de filme de Hollywood. Pode ir sem susto que você vai encontrar peças únicas e cheias de charme.

bau3

bau6

bau2

Desapego coletivo – Paralelamente ao Baú Secreto, a Casamarela organiza um bazar de peças usadas. No espírito coletivo, o coworkingcolaborativo convocou alguns amigos afim de se desapegarem de roupas esquecidas no fundo de seus armários e colocar à venda em precinhos camaradas ou mesmo destinar à doação.

Serviço

Bazar Baú Secreto | Peças de figurino de Bárbara Cunha e Carol Azevedo

Domingo, 6/7 | 10 às 17h

Casamarela – Rua Professor Álvaro Lima, 47, Casa Amarela. Informações: 3019.5207

 

A moda do Recife em Lisboa.

ramalhete4

Inquieta que só ela, Aline Galvão, jornalista pernambucana (mas que vive perambulando por Portugal) já trouxe o seu Ramalhete Brechó para o Recife com peças lusitanas. Agora a danada fez o contrário: levou as marcas daqui (Rush Praia, Jailson Marcos, Trocando em Miúdos  e a paraibana Josephine Blue) para Lisboa.  Eita menina empolgada.

Então, se você mora ou está de passagem pela capital portuguesa, não pode perder a versão recifense do brechó. O eventinho internacional rola na A Outra Face da Lua, uma loja vintage-descolada na Baixa-Chiado.

ramalhete3

ramalhete

Urban Arts no Recife!

ua1

Como moda e arte andam de mãos dadas, essa é uma novidade muito bem vinda na cidade: a galeria-loja de arte digital URBAN ARTS abre suas portas no Recife. A UrbanArts divulga e comercializa os trabalhos de mais de 800 artistas de mundo com preços bacana (posters por 70 Reias, em média). #empolgada

ua2

ua3

Aqui no Recife a loja vai ficar na Rua da Hora, 647 e a inauguração vai rolar 2 de Julho com eventinho descolado. Além de posters, a Urban Arts vende  quadros, adesivos de parede, skins para notebooks e celulares, sketchbooks e almofadas.

Amo muito tudo isso.

A ideia é escolher vários posters (ou quadros) e misturar tudo na parede que você mais gosta da sua casa.

ua4

Para conhecer mais da Urban Arts, clica AQUI.

 

Passarela Fenearte

passarelafenearte

Está chegando a semana de moda mais autêntica do Recife; a passarela Fenearte. É que durante os dias da feira internacional de artesanato, no mezanino do Centro de Convenções, acontecem os desfiles dos estilistas pernambucanos e estudantes de moda da cidade. Só gente boa mostrando coisa nova.

Assim como a feira, a passarela tem como tema principal os mamulengos! E assim, juntando arte, moda e cultura regional, 12 marcas desfilarão suas coleções, sempre a partir das 18h. Vale a pena conferir.

Segue a programação:

Dia 3/7 –  Faculdade Senac e Secretaria da Mulher.

Dia 6/7 – Faculdade Boa Viagem e Aeso Olinda

Dia 7/7 – Unifavip e Senai Caruaru

Dia 10/7 – Uninassau e Tenerife

Dia 11/7 – Fadire e UFPE

Dia 12/7 – Secretaria da Mulher e Karina leão.

 

Batida na TV: esmaltes

Frio na barriga.
Não, não é um encontro com um paquerinha, é o nome de um esmalte mesmo!
E para ficar por dentro das novidades do mundo das unhas, fui na Esmalteria Nacional, em Casa Forte, conversar com Carol Carvalho. Clica aí pra ficar por dentro e depois corre pra comprar o seu frio na barriga!

Batida na TV: desfile da Soslayo.

Sexta passada foi a vez da estilista Mariana Almeida mostrar sua coleção. Responsável pela recém criada marca SOSLAYO, Mari levou looks inspirados na Divina Comédia, com estampas exclusivas criadas pela própria estilista.

sos2

A Soslayo teve a ajudinha da estilista e artista plástica Juliana Souto, da marca Casa 87, que levou as bolsas para compor o styling da coleção.

sos3

sos7

sos

sos6

sos4

sos5

Também usei um vestido da Soslayo para apresentar! Amei o colorido e a modelagem ampla e confortável.

sosMariana

Onde encontrar Soslayo?

Casa 87

Av. Marechal Deodoro, 87

Recife
81- 3038-6056

Combi – Loja Colabotativa (Coletivo casamarela)

Rua Professor Álvaro Lima, 47, Casa Amarela, Recife.

(81) 9164.3564 - (81) 9832.8056

www.facebook.com/lojacombi

Estação 4 Cantos Galeria & Café

Rua Prudente de Moraes, 440, Sítio Histórico, Olinda.

(81) 3429-7575

www.estacao4cantos.com.br

Showroom no ateliê Soslayo

Rua das pernambucanas, Graças

(endereço por inbox – www.facebook.com/soslayo)

Sobre garçons e elefantes.

Era uma vez um elefante e um garçom. Os dois se chamavam Salomão e os dois, imagino, queriam a mesma coisa: liberdade.

Nunca se conheceram, visto que o Salomão elefante mora dentro de um livro de José Saramago enquanto o Salomão garçom é do Recife.

Em comum, além do nome, um ar tranqüilo e a certeza de que um dia vão chegar lá.

Lá onde, minha Nossa Senhora dos Paquidermes?

No caso do elefante, em Viena. O bicho foi enviado como presente do Rei Dom João para um arquiduque e por isso saiu de Lisboa, de pés, como diz o povo, até a Áustria.  Nunca se viu um feito elefântico tão impressionante. O paquiderme caminhou léguas e meses, sem reclamar, cabisbaixo como convém a animais presos em cativeiro.

O Salomão garçom também quer chegar lá. Não em Viena, mas em casa. Quer somente sentar no sofá, colocar os pés para cima e assistir aos melhores lances de Brasil X México. Não é pedir muito, vai. Durante a partida da seleção canarinha contra os chicanos, Salomão estava de pé, não para cantar o hino, mas para servir as mesas do restaurante. Passou segurando bandejas de caipirinha, filé com fritas, bolinhos de bacalhau e salsichas alemãs. Correu de um lado para o outro e posso até apostar que correu mais do que Neymar tentando furar o paredão do novo padroeiro do México, o goleiro.

Pensei, em muitos momentos, que iria flagrar Salomão, o garçom, escondido atrás de alguma pilastra dando uma espiadela no jogo. Nada. O garçom defendeu, com dignidade padrão FIFA, a profissão. Corria de lá para cá, cabisbaixo, como convém a empregados presos no cativeiro da pirâmide social capitalista.

Quando chegou lá, em Viena, o Salomão elefante não durou um ano. Foi morto para que seu marfim se transformasse em jóias e suas patas em cinzeiros gigantes. Em casa, o Salomão garçom, talvez morrerá. Não de morte morrida, dessas que acabam no cemitério, mas da pior das mortes; a da esperança.

Se o cara, brasileiro de nascença, amante de futebol por natureza, não pode nem assistir ao jogo do seu time na Copa do mundo, o que lhe resta nessa vida?

Faço minhas as palavras de Saramago: “apesar das decepções, frustrações e desenganos que são o pão de cada dia dos homens e dos elefantes, a vida continua.”

Salomão garçom apareceu, depois do jogo, com o sorriso que lhe é característico para perguntar, não sobre o resultado da partida, mas para saber se estava faltando alguma coisa.

- Só a conta, senhora?

- A conta e meus parabéns Salomão. Tu é melhor que o goleiro chicano, não deixa passar nada.

Aí, bem nessa hora, o garçom comentou todos os lances do jogo como se estivesse sentado ao meu lado, na mesa em frente ao telão, durante toda a partida.

- Esse goleiro já pode se aposentar, esse foi o jogo da vida dele. Disse o Salomão comentarista.

Mas como é possível? Será que entre filés à parmegiana e pastéis de queijo, o cara viu quando Thiago Silva quase fez um gol?

E está desvendado o grande mistério da profissão: garçons são invisíveis.

Ou vai dizer que você se lembra do rosto do “amigo, traz mais uma cerveja” que te serviu ontem? Recorda da cor do cabelo do “campeão, cadê as fritas que eu pedi?”.

O “mestre, me vê o cardápio, aê” não tem feição. Ele é invisível, como o gol que o Brasil não fez ontem.

Mas tem um truque: ele aparece se você sorrir.

Se sorrir, garanto que ele sorri de volta. E digo mais, se você perguntar o nome do “amigão”, pode até descobrir que existe uma história, do tamanho de um elefante, dentro dele.

*Homenagem a todos os brasileiros que estavam trabalhando durante o jogo da seleção e ao meu avô, que eu mal conheci, e era garçom.

Onde encontrar Salomão:

O elefante – no livro A Viagem do Elefante, do escritor português e prêmio Nobel de Literatura, José Saramago.

O garçom – no restaurante do Clube Alemão (que é aberto ao público, e não só aos sócios).

Batida na TV: looks para as gordinhas estilosas.

Gordinha sim, mal vestida JAMAIS!

Por isso fui com Bia Machado, a gordinha mais descolada do pedaço, dar um rolezinho na Renner. Lá, conversamos sobre as dicas de looks para as cheinhas e Bia montou uns looks super bacanas pra quem tá acima do peso.

Aprendemos que: pode tudo, portanto que você se sinta bem. Tomara-que-caia não é a peça preferida no armário das gordinhas, mas pode abusar de leggings, shorts, saias e até listras!

Batida na TV: desfile da SrtaChica

srtachica

A marca a desfilar semana passada no Batida na TV foi a Srta Chica da estilista Priscila Figueirôa. Com uma pegada moderna e prática, mas sem abrir mão do romantismo, as roupas são leves e coloridas. Adorei!

marina1

marinamorena2

marinamorena4

Claro que eu usei um look da Srta Chica para apresentar o desfile. Confere aí minha produção:

srtachicalook1

Look: Vestido Srta Chica, Colar Lubella, Bota C&A.

srtachicaPriscila

A Srta Chica tem loja virtual. Para conhecer melhor e fazer pedidos, clica AQUI.

#TeveCopa

Depois de uma abertura digna das olimpíadas internas do Colégio Vera Cruz e de Claudia Leite dublando e dançando com o figurino da galinha pintadinha, Marcelo fez um gol contra enquanto o público, chocado, pensava: imagina na copa.

Dilma foi vaiada, não porque isso vá melhorar a saúde e educação no país, mas porque já estava no script: classe média que paga ingresso caro demais e tem educação de menos. Tivesse pensado melhor, a presidenta teria decretado a abertura da Copa em Palmas e não no Itaquerão. Criolo avisou, não existe amor em SP.

Mamãe ficou tensa quando viu brasileiros e croatas juntos, no que alguém gritou:

- Mãe, o jogo não é no Arruda. Relaxa.

No intervalo, Aninha preparou um QUIZ para os torcedores da família, sobre nosso adversário. Entre perguntas como qual a capital da Croácia e onde é mesmo que fica a Croácia, descobrimos que o país europeu é o responsável pela invenção da gravata.

Ontem, provavelmente, os jogadores croatas usaram a gravata apertada demais, porque saíram do estádio com um nó na garganta.

 

 

Os melhores da semana.

Só tem dois caras pra quem eu pagava pau nessa vida.

Eu sei, eu sei, essa provavelmente não é a melhor maneira de começar uma crônica. Sair pagando pau, por aí, não tem a menor poesia. Se você, inclusive, não conhecesse esse blog e fosse, para o meu azar, sua primeira vez visitando o Batida, fecharia esse texto agora.

Mas é que o tempo urge.  #Tátendocopa e ninguém quer saber de mais nada além de falar mal da FIFA. Isso dito, preciso ir direto ao ponto. Nada de parágrafos preliminares nem frases de impacto. Nenhuma citação, nenhum bordão.

Apenas um “eu pagava pau”, simplesmente.

Pagar pau (masc. singular) – segundo dicionário da vida real: ser fã, pedir autógrafo, informar que o cara é o máximo, dar gritinhos histéricos, ter uma leve taquicardia de emoção.

Pois bem, indo direto ao ponto, antes que Galvão grite É do Brasillllllllll,eu pagava pau para dois caras nessa vida.
Não são pop stars nem atores globais. Não fazem pose de galã, muito menos ganham milhões com anúncios de publicidade.
São escritores.
- Sim, mas e a profissão deles?
- Eles escrevem.
- Não o hobby, a profissão. Entende?
- Inventores de realidades paralelas que não existem (a não ser, dentro da gente). Escritores, entende?

Pois, eu pagava pau para dois.

Um morreu antes que eu pudesse colocar em prática o mico de sorrir amarelo e pedir “posso tirar uma foto com o senhor?”. Para esse, eu pagava pau nível pedir autógrafo. José Saramago. Gênio é a palavra politicamente correta para definir. Eu usaria foda mesmo. O cara era foda. Ponto final.

O outro, cronista fantástico, é vivo e praticamente da minha geração: Antônio Prata. O foda não é ele ser foda. O foda é ele ser praticamente da minha geração. E quando digo, praticamente, é porque, para piorar, eu sou mais velha.
Com Saramago dava para sonhar “quando eu for da idade dele, vou ser tão foda quanto ele”.
Saramago só virou escritor depois dos 60, então dava para ter esperança: “ainda dá tempo, ainda dá tempo”.
Mas quando um cara é muito melhor do que você e ainda é mais novo, o pensamento “me lasquei”, é um dos mais simpáticos que vêm à mente.

Acontece que eles perderam o posto. Continuam na lista de melhores da semana do meu coração, mas, recentemente, passaram a dividir o pódio com outros 11.

Agora, além de José Saramago e Antônio Prata, pago pau para Neymar, Fred, David Luiz, Daniel Alves, Júlio César, Marcelo, Thiago Silva, Paulinho, Hulk, Oscar e Luiz Gustavo.

E já que chegou a hora dessa gente bronzeada mostrar seu valor, guardei meus livros e fui gritar gol (para ser sincera, o que eu gritei mesmo foi #ChuuuuuuupaCroácia).

Batida na TV: looks para Copa!

A tendência é verde-amarelo porque, minha gente, a Copa está batendo na porta. Então o Batida vai te ajudar a montar looks estilosos com as cores do nossa bandeira.

Primeiro fui na ESTÚDIO ZERO (sim sou bairrista e fui na Estúdio porque além de pernambucana, a marca é moderna e descolada), de lá me joguei na CANTÃO e levei vários modelitos para o provador. Por fim, como não poderia faltar, fui numa loja de departamento. Encontrei na RIACHUELO ótimas opções por um precinho camarada.

Novidades no mundo da maquiagem.

Sim, nós amamos olho preto, mas chegou a hora da libertação! Que venham os azuis, dourados, verdes, pratas. Foi Marcos Costa, maquiador da Natura, quem me fez perder o medo das cores na maquiagem. Ele esteve no Recife, dia desses, para apresentar as novidades da linha Natura Una . E para me provar que olho azul é chic e moderno, me usou de cobaia. Saí de lá tão linda, que vou me inscrever para o emprego de cobaia oficial.

naturaUna

Ok, ok, agora que #todasqueremazul vamos as novidades: sombra multi efeito com cores lindasssss inspiradas na profundeza dos oceanos, base mousse efeito pó (cobertura maravilhosa, eu testei. Parece maquiagem para hdtv) e batons de longa duração (mate mas com textura menos seca). Tem mais coisa, mas esses foram meus eleitos.

naturauna3

naturauna4